Estudando o samba – Gel Continental

Ficha Técnica

Produção : Heraldo do Monte (ex Quarteto Novo)
Arranjos: José Briamonte
Técnicos de Som: José Antonio (Zé Cafi) Marcos Vinicios (“Só” – “Mãe Solteira”)
Heraldo: Violão, etc. – Edson: Violão, Viola – Dirceu: Bateria – Cláudio: Contrabaixo – Natal, Osvaldinho: Percursão – Vicente Barreto: Violão e palpites – Rosário: Arregimentação e discursos – Eloa, Vera, Sidney e Roberto: Vozes – Pessoal de Santana: Santana, Osório, Vilma, Carlos, Celso, Vagner, Puruca (ou Pituca): Vocais – Odair Corona: Coodenação de Produção – Téo da Cuica: Tambor D’ água e outros instrumentos de sua criação (em “A Felicidade”) Branca de Neve: Surdo – Studio de Gravação – Sonima e Vice-Versa (em “Só” – “Mãe Solteira”) – Capa Walmir Teixeira.

Músicas

LADO A

1. MÃ
2. A FELICIDADE
3. TOC (instrumental)
4. TÔ
5. VAI
6. UI!

LADO B

1. DOI
2. MÃE
3. HEIN?
4. SÓ
5. SE
6. ÍNDICE

De Irará para Salvador, e daí, Rio de Janeiro, São Paulo, etc., etc., enfim, o menino Tom Zé, quando percebeu, estava entregue às andanças a que são levados os artistas para dar seus recados. E por aí foi indo o Tom Zé: levado dentro de si uma enorme carga musical assimilada das festas religiosas e das serestas que participou em sua terra natal, passando pelo que viu e ouviu nas andanças e devolvendo tudo isso de maneira nova e criadora nas suas composições, após as suas mexeções com todo esse tipo de coisas nossas jogadas dentro de uma pipeta de graduação sonora e de acordo com os conhecimentos que adquiriu no Conservatório de Música da Universidade Federal da Bahia.

E por aí foi indo o Tom Zé: poesia, som , som-poesia, tropicália, Salvador, Castro Alves, Vila Velha, mil aplausos, esbarro com ele, alô, olá, estamos aí, 1966. Rio de Janeiro, São Paulo, festival, festival, Tom Zé ganha alguns, vitória, vitória, mas até hoje não lhe fizeram entrega de um dos mais badalados prêmios que tinha direito. Faz muchocho, quando se lembra, mas não para muito prá pensar nesses calotes porque há muito onde jogar o seu talento e ele não gosta de perder tempo.

Por isso, sem perda de tempo, pensou e realizou este disco, onde procurou reunir uma variedade de tipos e de formas rurais e urbanos do samba, dando a cada música a vestimenta que achou mais adequada.

E por aí vai indo o Tom Zé: certo do seu trabalho certo, mas não muito certo de sua aceitação. A ponto de num desabafo – a meu ver, precipitado – ter-me dito que se este LP não circulasse, teria que abandonar o lado de pesquisa de seu trabalho.

O que é isso, amigo? Se esta procurando um pretexto prá tirar uma licença. pode estar certo de que não vai ser desta vez, pois vai ter que trabalhar dobrado. Só espero que não me prive da oportunidade de novamente ser seu parceiro, pois estou aí para trabalharmos juntos, seja em Irará, Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo, em etc., ou em etc… Gostei da experiência.

Rio de Janeiro, dezembro de 1975 a. ELTON MEDEIROS

Letras:

LADO A
1. Mà
(Tom Zé)Batiza esse neném 
batiza esse nenémBatizado bom
batizado bomÊ, os sambas e arcanjos
ô, a rua a arruaça 
ê, a mão da madrugada
ô, a lua enluarada
ê, o seio, sua sede
ê, mã mã mã mã mã mã
2. A FELICIDADE 
(Antonio C. Jobim – Vinicius de Moraes)Tristeza não tem fim
felicidade sim
A felicidade é como a pluma
que o vento vai levando pelo ar
voa tão leve
mas tem a vida breve
precisa que haja vento sem parar
a felicidade do pobre parece
a grande ilusão do carnaval
a gente trabalha
o ano inteiro
por um momento de sonho
pra fazer a fantasia
de rei ou de pirata ou jardineira
pra tudo se acabar na quarta-feira
A felicidade é como a gota
de orvalho numa pétala de flor
brilha tranqüila
depois de leve oscila
e cai como uma lágrima de amor.A minha felicidade está sonhando
nos olhos da minha namorada
é como esta noite
passando, passando
em busca da madrugada
falem baixo por favor
pra que ela acorde alegre como o dia
oferecendo beijos de amor.
 
3. TOC – instrumental 
(Tom Zé)
(instrumental) 
4. TÔ 
(Elton Medeiros – Tom Zé)Tô bem de baixo prá poder subir
Tô bem de cima prá poder cair
Tô dividindo prá poder sobrar
Disperdiçando prá poder faltar
Devagarinho prá poder caber
Bem de leve prá não perdoar
Tô estudando prá saber ignorar
Eu tô aqui comendo para vomitarTô te explicando
Prá te confundir
Tô te confundindo
Prá te esclarecer
Tô iluminando
Prá poder cegar
Tô ficando cego
Prá poder guiarDevagarinho prá poder rasgar
Olho fechado prá te ver melhor
Com alegria prá poder chorar
Desesperado prá ter paciência
Carinhoso prá poder ferir
Lentamente prá não atrasar
Atrás da vida prá poder morrer
Eu tô me despedindo prá poder voltar
 
5. VAI
(Menina amanhã de manhã 
(Tom Zé – Perna)Menina, amanhã de manhã
quando a gente acordar
quero te dizer 
que a felicidade vai
desabar sobre os homens
vai
desabar sobre os homens
vai
desabar sobre os homensMenina, ela mete medo
menina, ela fecha a roda
menina, não tem saída
de cima, de banda ou de lado.
Menina, olhe pra frente
Oh! menina, todo cuidado, 
não queira dormir no ponto, 
seguro o jogo, atenção.
(De manhã)Menina, a felicidade
é cheia de praça,
é cheia de traça
é cheia de lata
é cheia de graça.Menina, a felicidade
é cheia de pano
é cheia de peno
é cheia de sino
é cheia de sono

Menina, a felicidade
é cheia de ano
é cheia de Eno
é cheia de hino
é cheia de ONU.

Menina, a felicidade
é cheia de an
é cheia de en
é cheia de in
é cheia de on

Menina a felicidade
é cheia de a
é cheia de e
é cheia de i
é cheia de o

Menina a felicidade
é cheia de a
é cheia de e

é cheia de i
é cheia de o
é cheia de a
é cheia de e
é cheia de i

cheia de a
cheia de e
cheia de i
cheia de o

6. UI!
(Você inventa) 
(Tom Zé – Odair)Você inventa – a gripe
Eu invento – ai
Você inventa – chore
Eu invento – ui
Você inventa o luxo
Eu invento a humilhação
Você inventa o amorEu invento a solidãoVocê inventa a lei
E eu invento a obediência
Você inventa deus
E eu invento a fé
Você inventa o trabalho
E eu invento as mãos
Você inventa o peso
E eu invento as costas
Você inventa a outra vida
Eu invento a resignação
Você inventa o pecado
E eu fico no inferno
Valei-me deus
LADO B
1. DOI 
(Tom Zé)Maltratei,
sim, maltratei demais
e machuquei, 
quei, quei, 
quei, quei,
meu coração que bate
que bate calado
que bate calado
que bate, bate
e dói, dói, dói.que bate e dói,
dói.Dói, amor
dói com d
ô dói E dói
amor ô 
dói e dói.
2. MÃE
(Mãe solteira)
(Tom Zé – Elton Medeiros)Cada passo
Cada lágrima somada
Cada ponto do tricô
Seu silêncio de aranha
Vomitando paciência
Prá tecer o seu destinoCada beijo irresponsável
Cada marca do ciúme
Cada noite de perdão
O futuro na esquina
E a clareza repentina
De estar na solidãoOs vizinhos e parentes
A sociedade atenta
A moral com suas lentes
Com desesperada calma
Sua dor calada e muda
Cada ânsia foi juntandoPreparando a armadilha
Teias, linhas e agulhas
Tudo contra a solidão
Prá poder trazer um filho
Cuja mãe são seus pavores
E o pai sua coragem

Dorme dorme
Meu pecado
Minha culpa
Minha salvação

 
3. HEIN? 
(Tom Zé – Vicente Barreto)
Participação: Vicente BarretoEla disse nego
Nunca me deixe só
Mas eu fiz de conta
Que não ouvi, Hein?
Ela disse:  – orgulhoso
Tu inda vai virar pó
Mais eu insisti
Dizendo Hein?Ela arrepiou
E pulou e gritou
Este teu – Hein? – muleque
Já me deu – Hein? – desgosto
Odioso – Hein? com jeito
Eu te pego – Ui! bem feito
Prá rua – sai! – sujeito
Que eu não quero mais te verEu dei casa e comida
O nego ficou besta
Tá querendo explorar
Quer me judiar
Me descartar 
4. SÓ
(Solidão)
(Tom Zé)Solidão
que poeira leve
solidão
olhe a casa é sua
o telefo…
e no meu descompasso
o risso delaNa vida quem perdeu o telhado
em troca recebe as estrelas
pra rimar até se afogar
e de Soluço em Soluço esperar
O Sol que Sobe na cama
e acende o lençol
Só  lhe chamando
Solicitando
Sólidão
que poeira leve…Se ela nascesse rainha
se o mundo pudesse agüentar
os pobres ela pisaria
e os ricos iria humilhar.
Milhares de guerras faria
pra se deleitar
por isso eu prefiro
chorar sozinho.solidão
que poeira leve
solidão
olhe a casa é sua
o telefone tocou, foi engano
solidão
que poeira leve
solidão
olhe a casa é sua
e no meu descompasso
descompasso
o riso dela

 

 
5. SE 
(Tom Zé)Ah! se maldade 
vendesse na farmácia
que bela fortuna 
você faria
com esta cobaia
que eu sempre 
fui nas suas mãos.Oh! mulher,
se
porém
se
o quê?
se
de quem?
se
por quê?
se isso for possível
pois, me contem 
como escrever de novo
o jornal de ontem…
eu beijaria os pés 
da santa máter
e reescreveria 
o seu caráter.
6. ÍNDICE
(Tom Zé – José Briamonte – Heraldo do Monte)
Participação: OsórioA felicidade
só dói
só dói se       (Toc!)

mãe
tô só
dói mãe         (Hein?)
ui!A felicidade
só dói
só dói
só dói se (Toc!)
vai mãe
tô só
dói mãe         (Hein?)
ui!
a felicidade 
 
LADO B
1. DOI 
(Tom Zé)Maltratei,
sim, maltratei demais
e machuquei, 
quei, quei, 
quei, quei,
meu coração que bate
que bate calado
que bate calado
que bate, bate
e dói, dói, dói.que bate e dói,
dói.Dói, amor
dói com d
ô dói E dói
amor ô 
dói e dói.
2. MÃE
(Mãe solteira)
(Tom Zé – Elton Medeiros)Cada passo
Cada lágrima somada
Cada ponto do tricô
Seu silêncio de aranha
Vomitando paciência
Prá tecer o seu destinoCada beijo irresponsável
Cada marca do ciúme
Cada noite de perdão
O futuro na esquina
E a clareza repentina
De estar na solidãoOs vizinhos e parentes
A sociedade atenta
A moral com suas lentes
Com desesperada calma
Sua dor calada e muda
Cada ânsia foi juntando

Preparando a armadilha
Teias, linhas e agulhas
Tudo contra a solidão
Prá poder trazer um filho
Cuja mãe são seus pavores
E o pai sua coragem

Dorme dorme
Meu pecado
Minha culpa
Minha salvação

 
3. HEIN? 
(Tom Zé – Vicente Barreto)
Participação: Vicente BarretoEla disse nego
Nunca me deixe só
Mas eu fiz de conta
Que não ouvi, Hein?
Ela disse:  – orgulhoso
Tu inda vai virar pó
Mais eu insisti
Dizendo Hein?Ela arrepiou
E pulou e gritou
Este teu – Hein? – muleque
Já me deu – Hein? – desgosto
Odioso – Hein? com jeito
Eu te pego – Ui! bem feito
Prá rua – sai! – sujeito
Que eu não quero mais te verEu dei casa e comida
O nego ficou besta
Tá querendo explorar
Quer me judiar
Me descartar

 

4. SÓ
(Solidão)
(Tom Zé)Solidão
que poeira leve
solidão
olhe a casa é sua
o telefo…
e no meu descompasso
o risso delaNa vida quem perdeu o telhado
em troca recebe as estrelas
pra rimar até se afogar
e de Soluço em Soluço esperar
O Sol que Sobe na cama
e acende o lençol
Só  lhe chamando
Solicitando
Sólidão
que poeira leve…Se ela nascesse rainha
se o mundo pudesse agüentar
os pobres ela pisaria
e os ricos iria humilhar.
Milhares de guerras faria
pra se deleitar
por isso eu prefiro
chorar sozinho.

solidão
que poeira leve
solidão
olhe a casa é sua
o telefone tocou, foi engano
solidão
que poeira leve
solidão
olhe a casa é sua
e no meu descompasso
descompasso
o riso dela

 

 
5. SE 
(Tom Zé)Ah! se maldade 
vendesse na farmácia
que bela fortuna 
você faria
com esta cobaia
que eu sempre 
fui nas suas mãos.Oh! mulher,
se
porém
se
o quê?
se
de quem?
se
por quê?
se isso for possível
pois, me contem 
como escrever de novo
o jornal de ontem…
eu beijaria os pés 
da santa máter
e reescreveria 
o seu caráter.
6. ÍNDICE
(Tom Zé – José Briamonte – Heraldo do Monte)
Participação: OsórioA felicidade
só dói
só dói se       (Toc!)

mãe
tô só
dói mãe         (Hein?)
ui!A felicidade
só dói
só dói
só dói se (Toc!)
vai mãe
tô só
dói mãe         (Hein?)
ui!
a felicidade